Primeiro dia bastante positivo


Por Rodrigo Cozzato

O trecho sul do Rodoanel foi aberto aos motoristas às 7h de hoje, com a promessa de desafogar o trânsito de caminhões pesados que cruzam São Paulo em direção ao Porto de Santos, no litoral. Em parte, não foi o que se viu.

A começar pela Raposo Tavares, o trânsito estava bem leve. Pelo menos às 9h, não havia sequer cem metros de congestionamento. Hoje é 1º de abril, mas isso não é piada. É uma notícia que gostaríamos de dar todos os dias. É torcer para o trânsito estar assim também na volta, já que hoje é saída de feriado.

No entanto, em São Paulo, a Avenida dos Bandeirantes, um dos principais focos de congestionamento da cidade, estava do mesmo jeito de sempre: parada. Um caminhão quebrado e um acidente entre um caminhão e um carro complicavam ainda mais a vida de quem passava por lá. O índice de congestionamento em São Paulo às 9h era baixo para o horário, cerca de 60 quilômetros. Mas havia muito trânsito concentrado, como disse, na Bandeirantes.

E agora?
Dois trechos do Rodoanel estão prontos, interligando sete importantes rodovias que chegam à capital paulista: Bandeirantes, Anhanguera, Castello Branco, Raposo Tavares, Régis Bittencourt, Imigrantes e Anchieta. Ainda não há cobrança no trecho sul, apenas no trecho oeste, R$ 1,30 por eixo para caminhões, e o mesmo valor para veículos de passeio.

Mas o que fazer para de fato tirar esses caminhões pesados do trânsito paulistano? As autoridades em engenharia de tráfego deveriam elaborar estudos e viabilizar maneiras de coibir, ou mesmo proibir, que caminhões que não tenham como destino final a cidade de São Paulo a cruzem.

A Secretaria de Transportes prevê que haja redução de 37% de redução dos caminhões na Avenida dos Bandeirantes e 43% na Marginal do Pinheiros. É muito pouco se levarmos em conta o tamanho da obra que é o Rodoanel e o quanto foi investido para construí-lo.

Outra saída poderia ser a mudança da CEAGESP de local, da Marginal do Pinheiros para as margens do Rodoanel. Quando foi construída, em 1969, a central de abastecimento estava localizada no que era o anel viário da capital paulista à época. De lá pra cá, a cidade cresceu — e muito — além das marginais do Pinheiros e do Tietê.

A mudança poderia fazer com que apenas caminhões pequenos, de entrega, aqueles que realmente precisem, entrem em São Paulo. O restante, que vá pelo Rodoanel.
(Colaborou Fernando Pedroso)

Tags: , ,

Uma resposta to “Primeiro dia bastante positivo”

  1. luiz Says:

    bi-trens, carretas de três eixos e caminhões especiais (transporte de máquinas) precisariam ter forte limite de horário para trafegar no centro expandido. Além de que, o padrão do asfalto da Bandeirantes não é pra eles; há anos deteriora com rapidez e tem recapeamento complicadíssimo.

    Além do CEAGESP, governoSP precisaria incentivar as muitas transportadoras da Vila Maria e migrar. Mas irão alegar, com muita razão, que sequer está definido o Projeto do Rodoanel/Norte. Incrível! Malditos políticos e tecnocratas e suas alegações “ecológicas”!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: